Resenha: Conto "Uma Conversa com Miss Simone"



Autor: Henrique Gomes

2º lugar no Concurso Mulheres Históricas - 1º concurso de contos do perfil Ficção Histórica BR





Expectativas. Antes mesmo do nascimento, todo ser humano é por elas pautado. O menino vai ser médico. A menina vai ser uma princesa. Foi pelas expectativas dos pais que a personagem central deste conto, Eunice, foi matriculada em uma das cinco melhores escolas para garotas de sua região. Eles queriam uma boa filha, silenciosa. Uma mulher que servisse para ser uma boa esposa e colocar bons meninos no mundo.

Preconceitos. Não há como fugir das opiniões que se formam em um primeiro olhar. Na escola com um sistema de educação de excelência, Eunice não era mais uma menina. Era cabelos crespos. Era pele escura. O centro das atenções quando alvo de chacota. A última a ser vista para todo o resto.

Esta Eunice é só mais uma dentre tantas outras, mas recebe os conselhos de uma outra Eunice, destaque no mundo por seu canto. Afinal, antes de ser Nina Simone, nome adotado para que pudesse cantar escondida do pai, a mulher, negra, cantora, compositora, pianista e ativista assim era conhecida por sua família e amigos. O papel de Nina Simone é fazer com que esta jovem Eunice encontre a Nina que habita em si, a força para encarar, de peito aberto e cabeça erguida, os desafios de viver em sua própria pele.

Se, na década de 60, em um Estados Unidos da América racista e segregado, Nina Simone fez de si arma contra as injustiças, nada mais justo que fosse ela a voz que guiasse Eunice para os holofotes do teatro da escola onde tanto a desprezavam. Desta vez, porém, não para o escarnio, mas para a mesma glória que sua homônima teve em palcos de todo o mundo. Acima de tudo, porém, a glória de achar-se e respeitar-se. Se Nina não é a personagem central deste conto, sua luta e sua inspiração certamente o foram.

Muito mais do que simplesmente uma cantora, Nina Simone foi voz. Foi grito de liberdade. Inspiração para tantas outras Eunices que ainda encontram-se perdidas dentro de si.



Leia o conto e seja também inspirado AQUI.

Comentários